Teste Teste Teste

Homenagem ao Dia das Mães

Trabalhando pela nossa Comunidade

Sabrina Rocha Tv Globo

Entrevista com Wellington Silva

Cruzada Evangélica 2015

Trabalhando pela nossa Comunidade

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Tabela da próxima rodada da VII Copa Pau-Brasil de Futebol 2016 dia 08 de maio


Tabela da próxima rodada da VII Copa Pau-Brasil de Futebol 2016 dia 08 de maio

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Vereador Denis Alves recebeu a notificação terá dez dias úteis para apresentar sua defesa

Nesta segunda-feira (2),o vereador Denis Alves recebeu a notificação da mesa diretora da Câmara Municipal de São Lourenço da Mata, sobre Processo Administrativo contra o parlamentar que infringiu o artigo 12B, III,o vereador terá dez dias úteis para apresentar sua defesa.
Como o vereador Denis Alves recebeu a notificação nesta segunda-feira (2),o mesmo terá até a sexta-feira (13),para apresentar sua defesa, ao receber a defesa do vereador Denis Alves a Câmara Municipal de São Lourenço terá cinco dias úteis para deferir ou indeferir sobre a defesa do vereador Denis Alves,com isso mesa diretora da Câmara Municipal de São Lourenço tem até a quinta-feira(19),para decidir pela perca do mandado do vereador Denis Alves ou não
Lembrando que mesa diretora da Câmara Municipal de São Lourenço da Mata, abriu na quarta-feira(27 /04),um Processo Administrativo conta o vereador Denis Alves por o mesmo infringiu o artigo 12B, III que tem em seu texto a seguinte redação (que deixar de comparecer, em cada sessão legislativa, à terça parte das sessões ordinárias da Câmara, salvo licença ou missão por esta autorizada)
Fonte :Blog do Brito

App T81 vai cadastrar taxistas

A fim de minimizar as confusões que têm ocorrido entre taxistas e motoristas de transporte particular, a T81, empresa pernambucana semelhante ao Uber, começará a oferecer, também, serviço de táxis em seu aplicativo. A expectativa é iniciar a nova operação dentro de 15 dias. Para aderir à plataforma, no entanto, os motoristas terão que preencher requisitos de serviço semelhantes aos particulares.
Segundo o cofundador da empresa, Josival Bezerra de Melo Junior, notou-se que os taxistas querem poder competir com apps como o T81 e o Uber, já que não podem proibi-los. Por isso a aceitação dos táxis, como um gesto de busca de entendimento entre as partes.
Acontece que a cobrança do táxi, tabelada pela administração municipal, ain­da é mais cara que a do T81. Para eliminar essa diferença, a empresa entrará, até o fim desta semana, com mandato de segurança contra a Prefeitura do Recife, para que os taxistas sejam liberados a fazer viagens mais baratas. “Estamos em um cenário de crise e concorrência e o prestador de serviço está disposto a cobrar mais barato, para ganhar no volume de corridas, só que a prefeitura proíbe isso”, argumenta Josival.
Os motoristas que quiserem cadastrar seus táxis na plataforma deverão obedecer a critérios semelhantes aos estabelecidos para os carros particulares. “Só aceitaremos veículos novos com quatro portas e ar-condicionado, que ofertem água e balas e possuam boa avaliação no app”, elenca o fundador.

Bloqueio do WhatsApp reacende debate sobre privacidade

Delegado defende que WhatsApp crie soluções para a entrega de informações que ajudem investigações
O bloqueio do Whats­App no Brasil por 72 horas, mas suspenso ain­da na terça-feira (3), retoma a discus­são sobre privacidade. Nos últimos meses, o governo a­me­ricano e a Apple travaram uma batalha sobre as informa­ções contidas no iPhone 5C de Syed Farook, responsá­vel por um ataque terrorista na Califórnia, no ano passado, que deixou 14 pessoas mortas. O FBI pagou mais de US$ 1 milhão para hackers invadi­rem o dispositivo do suspeito. Segundo James Comey, di­retor da agência, o investimen­to “valeu a pena”, embo­ra nada relevante tenha sido encontrado.
Tanto a Apple quanto o WhatsApp utilizam criptografia. Mas, no Brasil, a situa­ção chegou a ser ainda mais extrema. Mais de 100 milhões de usuários foram prejudicados pelo bloqueio do serviço. A empre­sa emitiu nota, na segunda, afirmando que não pode entregar “informações que afirmamos repetidamente que nós não temos”.

A criptografia de ponta a pon­ta utilizada pelo Whats­App permite apenas que o emissor e receptor da mensa­gem saibam o teor dela. As con­versas são enviadas para os servidores do Facebook, em Palo Alto, cidade na Califór­nia. Cada indivíduo conta com uma chave especial necessária para descriptografar o conteúdo enviado e recebido. “Quando criptografada a mensagem, o Facebook não tem como descriptografar”, ressalta o consultor de tendências do Porto Digital, Jacques Barcia.
O WhatsApp ainda possui uma tela para “Confirmar código de segurança”. Cada usuário possui um código único em forma de QR code ou uma sequência de 60 dígitos. Ele serve para confirmar que todo o conteúdo produzido no aplicativo - seja mensagens, fotos ou chamadas - estarão criptografados de ponta-a-ponta em cada uma delas. De acordo com o mensageiro, o processo é opcional.
Jacques explica que, embo­ra o Facebook tenha escritó­rio no Brasil, seria preciso a­cio­nar a justiça americana pa­ra conseguir as informações, já que a sede da empresa está instalada nos Estados Unidos. Para ele, uma solução se­ria criar sanções, como multas. “O princípio da neutralida­de da rede, dentro do Mar­co Civil, prevê que o mensagei­ro ( o aplicativo) não pode ser o culpado. E isso não é obser­vado pela Justiça. A internet é um serviço essencial e você não vê a interrupção de fornecimento de água quando uma empresa é acusada de algum crime, por exemplo”, critica.
Crimes
Para o delegado da Delegacia de Crimes Cibernéticos de Pernambuco, Derivaldo Falcão, o WhatsApp deve criar soluções para a entrega de informações que possam ajudar nas investigações da polícia. “Hoje, tráfico de drogas e outros crimes são organizados pelo WhatsApp. Uma vez que as investigações demandam o conteúdo trocado no aplicativo, a plataforma se ne­gar irá gerar mais situações como estas (bloqueio)”.
Mas, em algumas situações, a polícia tem acesso às mensagens do WhatsApp. Em São Paulo, duas irmãs criaram um grupo no aplicativo para planejar um assalto ao próprio pai. O caso aconteceu no fim de março, mas só foi divulgado na semana passada. O esquema só foi descober­to após a apreensão dos aparelhos. “É necessário a apre­ensão desses materiais pa­ra que tenhamos acesso a es­ses dados nas investigações”, disse Derivaldo Falcão, quando questionado sobre a importância do acesso aos smartphones de suspeitos investigados.

Pelo caminho da bancada

Michel Temer já presidiu a Câmara Federal por três vezes, conhece bem o parlamento e entende que, por vezes, como ocorreu com a presidente Dilma, por exemplo, não adianta negociar com a legenda e não contar com a bancada correspondente ao seu lado. Ontem, o PSB definiu que só, no dia 10, véspera da votação do relatório na comissão do impeachment no Senado, a sigla resolverá se ocupa ou não cargos em eventual gestão Temer. Até lá, há tempo para algum convite ser formalizado a um membro da sigla. Por ora, o nome ventilado é o do deputado federal Fernando Filho. Na condição de líder da bancada, o socialista goza de, no mínimo, alguma confiança dos correligionários na Câmara. E Temer parece buscar o diálogo com quem tem voto no parlamento.
Enquanto o PSB, dividido, preferiu ganhar tempo a fechar questão logo, nas hostes do PP, já nem se fala mais em Ministério da Integração Nacional, por considerarem que o mesmo, antes cobiçado por progressistas, já estaria hipotecado a Fernando Filho. Na terça, há outra reunião da executiva nacional do PSB, em Brasília, assim como ocorreu na véspera da votação do relatório na comissão da Câmara Federal. Na ocasião, a bancada a opinião da bancada prevaleceu.
Paulo Câmara e Geraldo Julio buscavam, ontem, em Brasília, alinhamento da bancada com a executiva nacional. Não fechou-se questão
Via Geddel
À exceção do que fez com José Serra e Henrique Meirelles, Michel Temer não anda distribuindo convites diretamente. De Pernambuco, por exemplo, sondagens a Augusto Coutinho e Mendonça Filho deram-se, via Geddel Vieira Lima, cotado para a Secretaria de Governo. Geddel também chegou a entrar em contato com Jarbas Vasconcelos, com quem ficou de ir à mesa, mas ainda não conversaram.
 
Currículo > Ainda que uma pasta da dimensão de Saúde, dos maiores orçamentos da Esplanada, venha sendo cogitada para o PP, um socialista, em reserva, observa: “Raul Cutait (médico do Sírio Libanês) é um nome positivo. O PP foi buscar um cara para, talvez, até perder um pouco dessa marca…”
Tudo certo > Cutait também não foi à mesa com Michel Temer. Mas já conhece o vice e teria aceitado. O médico estava em viagem com a família. O PP também aguarda comandar Agricultura.
Mal começou > Quem passou pelo Palácio do Jaburu, ontem, saiu comentando que as articulações de Temer para formar ministério podem acabar sendo zeradas para começar tudo de novo.
 
Impasse > “(Gilberto) Kassab não aceita perder cidades”, registra um parlamentar, referindo-se ao conflito que está havendo na divisão das pastas por Temer. O referido ministério fora hipotecado ao deputado Bruno Araújo.
 
Cafezinho > O prefeito Geraldo Julio, que circulava por Brasília, ontem, aproveitou e foi até o gabinete do deputado Jarbas Vasconcelos. Fez visita de cortesia. Geraldo esteve, na capital federal, para reunião da executiva nacional do PSB com a bancada, assim como Paulo Câmara.
Memória > Paulo e Geraldo não concordam com ocupação de cargos em eventual gestão Temer, mas não conseguiram consenso na sigla. Detalhe: Eduardo Campos, enquanto pré-candidato à presidência, prometia colocar “na oposição, o fisiologismo e o patrimonialismo da política brasileira”.
Fonte :Por Renata Bezerra de Melo.
Da Coluna Folha Política.

Mais de 40% do público-alvo já foi vacinado contra a gripe, campanha termina em 20 de maio

04052016_gripe-vacina-A_PrefCruzeiroSulAC
Até o momento 21,3 milhões se vacinaram, o que significa 43% da população prioritária. A meta é imunizar 80% das 49,8 milhões de pessoas considerados de risco. Esses são os dados atualizados do Ministério da Saúde (MS) divulgados nesta terça-feira, 3 de maio.
 
Para a campanha, que se encerra até 20 de maio, foram adquiridas 54 milhões de doses da vacina que protege contra os três subtipos do vírus recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para 2016 (A/H1N1, A/H3N2 e influenza B).
 
Três Estados e o Distrito Federal alcançaram as maiores coberturas vacinais até o momento: Amapá (78,11%), Distrito Federal (64,7%), Goiás (63,5%) e São Paulo (61,6%). Este desempenho foi possível porque a campanha foi antecipada nestas localidades.
 
“Em todo o país, 22 estados da Federação puderam adiantar suas vacinações, o que permitiu a alta cobertura vacinal alcançada até este momento. Mas é importante deixar claro que a campanha começou neste sábado, 30 de abril, e continua até o dia 20 de maio, não havendo necessidade de correria aos postos de saúde porque tem vacina para todos que fazem parte do público-alvo”, explicou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antônio Nardi. Ele reforçou ainda que, até o próximo dia 13 de maio, 100% das doses da vacina serão entregues aos estados brasileiros.
 
Grupos para vacinação
A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da OMS. Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.
 
Para receber a dose, é importante levar o cartão de vacinação e o documento de identificação. As pessoas com doenças crônicas, ou com outras condições clínicas especiais, também precisam apresentar prescrição médica, especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica.
 
Casos
Neste ano, até 23 de abril, foram registrados 1.880 casos de influenza de todos os tipos no Brasil. Deste total, 1.571 por influenza A (H1N1), sendo 290 óbitos, com registro de um caso importado (o vírus foi contraído em outro país). O Brasil possui uma rede de unidades sentinelas para vigilância da influenza, distribuídas em serviços de saúde de todas as unidades federadas do país, que monitoram a circulação do vírus influenza por meio de casos de síndrome gripal (SG) e síndrome respiratória aguda grave (SRAG).
 
Fonte :Da Agência CNM, com informação do Ministério da Saúde.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...