Teste Teste Teste

Homenagem ao Dia das Mães

Trabalhando pela nossa Comunidade

Sabrina Rocha Tv Globo

Entrevista com Wellington Silva

Cruzada Evangélica 2015

Trabalhando pela nossa Comunidade

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

As torcidas nas capitais brasileiras e o grau de envolvimento, via SPC/CNDL

As maiores torcidas do Brasil nas capitais em 2016. Fonte: Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)
Um estudo feito em conjunto pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), realizado em todas as capitais do país, mediu o grau de envolvimento do torcedor brasileiro, no acompanhamento das notícias, interesses pessoais, consumo de produtos oficiais e fidelidade no pay-per-view do futebol. O levantamento, claro, mensurou o tamanho das torcidas nas capitais, num raio de ação de quase 50 milhões de pessoas, dividindo até em subcategorias: aficionado, fã e simpatizante.
A pesquisa, aberta a entrevistados acima de 18 anos, traz algumas distorções, como qualquer levantamento. Na visão do blog, a maior é a ausência do Santa Cruz entre os 19 primeiros, abaixo do Náutico, o que não acontecia desde 1983, numa pesquisa da Gallup. O Sport aparece na liderança na região, empatado com o Vitória, que surpreende em Salvador. O fato de a pesquisa ser feita apenas em capitais talvez explique o leão pernambucano à frente de Cruzeiro e Galo, algo que jamais havia acontecido (e soa irreal). No interior mineiro, bem maior que o pernambucano e com maior presença local, a dupla de BH dispara.
Como o quadro do SPC apresenta percentuais dos clubes apenas entre as pessoas que torcem por algum time, o que corresponde a 87%, o blog recalculou todos os dados dentro do universo completo, 100%, incluindo a população à parte do futebol. Finalizando com a projeção absoluta através da estimativa populacional do IBGE, atualizada em 30 de agosto deste ano.
Confira o estudo completo clicando aqui e aqui.
SPC Brasil/CNDL / capitais brasileiras 2016
Período: 2016
Público: 712 (27 capitais)
Margem de erro: 3,9%
População estimada (IBGE/2016): 49.084.883
1º) Flamengo – 18,3% (8.982.533)
2º) Corinthians – 11,6% (5.693.846)
3º) São Paulo – 5,7% (2.797.838)
4º) Vasco – 5,5% (2.699.668)
5º) Palmeiras – 4,3% (2.110.649)
6º) Santos – 3,9% (1.914.310)
6º) Grêmio – 3,9% (1.914.310)
8º) Fluminense – 3,7% (1.816.140)
9º) Botafogo – 3,5% (1.717.970)
10º) Inter – 3,0% (1.472.546)
11º) Sport – 2,6% (1.276.206)
11º) Vitória – 2,6% (1.276.206)
13º) Cruzeiro – 2,3% (1.128.952)
14º) Bahia – 2,2% (1.079.867)
15º) Atlético-MG – 1,7% (834.443)
16º) Coritiba – 1,4% (687.188)
17º) Náutico – 1,3% (638.103)
18º) Fortaleza – 1,1% (539.933)
19º) Paysandu – 0,8% (392.679)
Outros times – 7,5% (3.681.366)
Sem clube – 12,9% (6.331.949)
Quantidade de produtos oficiais comprados por cada torcedor, anualmente:
Como as maiores torcidas do Brasil nas capitais acompanham notícias dos times. Fonte: Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)
Mídias em que o torcedor acompanha notícias de futebol: 
Como as maiores torcidas do Brasil nas capitais acompanham notícias dos times. Fonte: Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)
Consumo de pay-pew-view para assistir aos jogos (Brasileiro e Estaduais):
Gasto das maiores torcida do Brasil com pay-per-view em 2016. Fonte: Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)
A amostragem da pesquisa por capital:
Amostragem da pesquisa de torcida nas 27 capitais brasileiras em 2016. Fonte: Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)

"Eike falseou versão; enganou o mundo inteiro"

A interlocutores, ex-ministro Guido Mantega nega qualquer envolvimento com corrupção
O Globo - Mariana Sanches
Depois de ser liberado pela Polícia Federal, o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega conversou com alguns interlocutores para negar qualquer envolvimento com esquema de corrupção e pagamento de propina descrito por Eike Batista em depoimento ao Ministério Público Federal em maio deste ano. Segundo o empresário, ele teria pago US$ 2,35 milhões em uma conta no exterior destinada ao casal de marqueteiros Monica Moura e João Santana a pedido do ex-ministro. Eike procurou espontaneamente os investigadores e depôs na condição de testemunha.
Costumeiramente comedido e cuidadoso no que diz, Mantega partiu para o ataque em relação ao empresário para as pessoas de seu círculo mais próximo.
— Eike falsificou balanços e enganou o mundo inteiro com seus negócios, agora está falseando essa versão de propina — disse o ex-ministro a um dos interlocutores.

Paulo Câmara vai a Brasília e ameniza clima hostil com governo Temer

Governador, em companhia de Mendonça Filho e do presidente Michel Temer: apertos de mãos e rasgação de elogios
Após estremecimento com ministros e críticas às medidas recentes do Governo Temer, o governador Paulo Câmara (PSB) cumpriu agenda em Brasília para distensionar as relações. O gestor pernambucano ganhou destaque no anúncio da reforma do ensino médio promovida pelo Governo Federal a convite do ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), além de se reunir com o ministro da Defesa, Raul Jungmann (PPS). Nos últimos dias, o chefe do Executivo estadual e seus aliados criticaram a exclusão do Nordeste das últimas medidas adotadas pelo Governo Temer e ainda protagonizaram um embate com ministros do Estado pela responsabilidade na exclusão de Pernambuco do pacote de concessões anunciado pelo Planalto na semana passada.

Durante sua passagem por Brasília, prevaleceu o clima de distensionamento. A avaliação dos envolvidos no episódio é que não há sentido antecipar questões que ainda não estão definidas (leia-se as eleições de 2018) em um momento de crise econômica e dificuldades. A relação com os ministros Mendonça Filho e Raul Jungmann parece ter alcançado o objetivo, mas as farpas trocadas com o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), ainda não foram contornadas. Foi contra o tucano que os socialistas destinaram as críticas mais fortes nos últimos dias.
Enquanto o imbróglio com os ministros começa a ser amenizado, o governador Paulo Câmara ganhou destaque na apresentação do plano para a reforma do Ensino Médio. Ele esteve ao lado do presidente Michel Temer durante a cerimônia e fez um discurso enaltecendo a iniciativa do Governo Federal e os recentes resultados de Pernambuco no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
Já Mendonça Filho afirmou que as mudanças no ensino médio pernambucano começaram quando ele assumiu o Governo do Estado, em 2006, e deu início à implantação de modelo de escolas integrais. O democrata reforçou que a iniciativa foi ampliada e melhorada nas gestões de Eduardo Campos, João Lyra (PSDB) e Paulo Câmara. Em seu discurso, Michel Temer cumprimentou Paulo Câmara e afirmou que Pernambuco é “um celeiro de intelectuais da Educação”.
Antes do evento do Ministério da Educação, Paulo Câmara participou de audiência com Raul Jungmann, no gabinete do auxiliar ministerial. As lideranças discutiram projetos em benefício do Estado, a exemplo do Corredor Norte-Sul do BRT e a parceria com o Porto Digital. O ministro ficou de analisar as demandas e reforçou o interesse de contribuir com o gestor socialista. “Temos total interesse em fortalecer a nossa parceria com o Governo do Estado, melhorando as condições de vida dos pernambucanos. Paulo Câmara é sempre muito bem-vindo ao Ministério e tem as portas abertas para que o diálogo progrida em benefícios da nossa população”, disse o ministro.

Horário de verão tem início em 16 de outubro

À zero hora do dia 16 de outubro, terceiro domingo do mês, tem início o horário de verão 2016/2017 brasileiro. Os relógios deverão ser adiantados em uma hora nas unidades federativas das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo.
Como durante o verão o uso de eletricidade para refrigeração, condicionamento de ar e ventilação aumenta, a estratégia é aproveitar a intensificação da luz natural ao longo do dia durante o verão para reduzir a demanda principalmente no período de pico, entre as 18h e as 21h, ou seja, quando mais pessoas, empresas e indústrias estão utilizando a energia elétrica.
De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), quando a demanda de energia elétrica diminui, as empresas que operam o sistema conseguem prestar um serviço melhor ao consumidor porque as linhas de transmissão ficam menos sobrecarregadas. Para as hidrelétricas, a água conservada nos reservatórios pode ser importante no caso de uma estiagem futura. Para os consumidores em geral, o combustível ou o carvão mineral que não precisou ser usado nas termelétricas evita ajustes tarifários.
No ano passado a economia gerada pelo adiantar dos ponteiros foi de R$ 162 milhões. Além disso, o ONS também afirmou em nota que, caso não houvesse horário de verão, R$7,7 bilhões teriam que ter sido investidos para suprir o atendimento da demanda elétrica no período.
Como surgiu o horário de verão?
No Brasil, o primeiro horário de verão foi realizado entre 1931 e 1932, pelo presidente Getúlio Vargas, com duração de 5 meses. A prática vem sendo adotada sem interrupções desde 1985, com algumas diferenças nos estados que aderem à mudança, e também nos períodos de duração.
A única exceção para o decreto 6.558, de 2008, que define as regras do horário de verão atualmente, ocorre quando o terceiro domingo de fevereiro coincidir com o domingo de Carnaval. Nesse caso, o horário de verão termina no quarto domingo de fevereiro.
A ideia de adiantar a hora oficial em períodos de verão foi lançada em 1784 por Benjamim Franklin, político e inventor americano. O primeiro país a adotar oficialmente o horário de verão foi a Alemanha, em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial, para economizar os gastos com carvão.
Fonte :Agência CNM, com informações da Agência Brasil.

Presidência confirma recebimento de solicitação da CNM que pode ajudar Municípios brasileiros

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) recebeu, no último dia 19 de setembro, um ofício da Presidência da República. O documento acusa o recebimento de uma solicitação feita pela entidade para vetar parte do Projeto de Lei Complementar (PLC) 210/2015. O intuito é proibir a criação de novas despesas aos Municípios sem indicação da fonte pagadora.
Encaminhado ao presidente da república, Michel Temer, o ofício externa o anseio de milhares de prefeitos de todo o Brasil. Ao todo, são propostos vetos a três artigos da matéria. O primeiro deles diz respeito ao financiamento dos cursos técnicos para Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE). Como nota a CNM, não fica claro se o aporte será originado a partir de uma nova rubrica do Fundo Nacional de Saúde (FNS) ou mediante o contigenciamento de rubricas existentes.
Outro parágrafo do PLC também não especifica qual será a fonte para custeio do transporte desses profissionais quando participarem de cursos técnicos ou de capacitação profissional. Para a entidade, a ausência desse indicativo “prejudica sobremaneira os Municípios”, conforme traz o ofício enviado.
Por fim, o pagamento de adicional de insalubridade é outro ponto que preocupa os gestores municipais e também a Confederação. A questão é abordada no artigo 3.º do mesmo Projeto. Como alerta a entidade municipalista, as cidades brasileiras já estão fragilizados pela crise instalada no país. Ao assumir mais esta responsabilidade, o impacto sobre a folha municipal poderia ultrapassar R$ 2 bilhões por ano, o que duplicaria os gastos das administrações locais.
Em resposta a estas reivindicações, a presidência da República informou, também em ofício, que o “referido documento foi encaminhado à Casa Civil” onde deverá ser analisado. A CNM espera que a presidência possa compreender a importância desses vetos e fica no aguardo de uma resposta o mais breve possível.
Veja ofício enviado pela Confederação
Fonte :CNM.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Gino faz o maior comício da história da Várzea Fria

Comício na Várzea Fria, Av. Getúlio Vargas
Uma multidão participou, nesta quarta-feira (21), da caminha e do comício 40, do prefeito e candidato à reeleição, Gino Albanez (PSB). A concentração da caminhada foi na Rua Maria Tereza Dourado, de lá, seguiu para a Rua Getúlio Vargas, ambas na Várzea Fria, onde foi realizado o comício. O candidato estava acompanhado da sua vice na chapa, Alba Bezerra, do deputado estadual, Vinícius Labanca, e do presidente da Arpe, Ettore Labanca.
 
“Estou a cada dia que passa mais entusiasmado com o engajamento e mobilização da Família 40. Essa é uma campanha de paz, de amor e das famílias de São Lourenço da Mata. Vim apresentar o trabalho realizado em apenas 12 meses de gestão, propostas e compromissos, que irão garantir mais desenvolvimento e avanços para nossa cidade. Vamos em frente, pela verdade, pelo povo e por São Lourenço da Mata”, declarou Gino.  
O socialista é candidato à reeleição pela Frente Popular de São Lourenço da Mata, que é composta por 13 partidos e mais de 100 candidatos à Câmara de Vereadores, sendo considerada a maior força política já formado na cidade. A coligação conta com o apoio do governador Paulo Câmara (PSB); do vice-governador Raul Henry; do Chefe de Gabinete do Governador, João Campos; do ex-prefeito e presidente da Arpe, Ettore Labanca (PSB); do deputado estadual Vinícius Labanca (PSB) e de 13 vereadores do total de 15 que compõem o Legislativo Municipal de São Lourenço da Mata.

Nesse Domingo dia 25 Sera inaugurada a sede da associação amigos da varzea fria

Nesse Domingo dia 25 Sera inaugurada a sede da associação amigos da varzea fria, as 15:00 na rua ribeiro gonçaves, voces estão todos convidados, sera um culto de ação de graças com varios cantores evangeicos. organização: Wellington Siva

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...