Teste Teste Teste

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Com dois 'presidentes', PPS-PE tem um pé na base de Paulo e outro na oposição

Para Daniel Coelho, ele é o único presidente em exercício no PPS-PE / Foto: Bobby Fabisak/ JC ImagemPara Daniel Coelho, ele é o único presidente em exercício no PPS-PE
Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) divulgou, na última terça-feira (10), uma decisão do juiz Djalma Andrelino Nogueira Júnior que cria uma situação no mínimo inusitada no universo político do Estado. Atendendo parcialmente ao recurso apresentado pela defesa da Executiva Nacional do PPS depois que a dissolução do diretório local da sigla foi cancelada, na última semana, o magistrado determinou que a gestão da agremiação deve ser compartilhada entre o deputado federal Daniel Coelho, cabeça da comissão, e Manoel Carlos dos Santos, que presidia o partido antes do início da celeuma.
“Concedo em parte a tutela recursal pleiteada, para que o Diretório Regional do PPS neste Estado de Pernambuco volte a ser administrado pela Comissão Provisória definida pelo Diretório Nacional do Partido (...), ficando certo, porém, que tal gestão/administração deve-se dar, de forma compartilhada e harmônica, com o Diretório Regional dissolvido”, afirmou o juiz.
Com dois “presidentes”, o PPS-PE encontra-se, atualmente, em uma situação atípica: com um pé na base do governador Paulo Câmara – aliado de Manoel Carlos – e outro na oposição, posto que Daniel faz parte do grupo Pernambuco Quer Mudar, principal frente de resistência ao governo estadual.

"A DECISÃO É CLARA"

Daniel Coelho e sua defesa, porém, não enxergam a resolução desta maneira. “A decisão é bem clara e devolve à Comissão Provisória o comando do partido”, disparou o parlamentar. Américo Couto, advogado de Daniel, completa dizendo que o juiz determina apenas “uma convivência harmônica entre seus filiados”, não o compartilhamento da gestão.
Carlos Neves, advogado do Diretório Estadual do PPS, entende o texto de forma distinta. “A determinação não restaurou totalmente a comissão. Ele (Daniel) está com a senha do Tribunal Regional Eleitoral para fazer novas filiações, mas a liminar não foi integral, deu a ele um comando limitado. Nós, inclusive, já pedimos a reconsideração dessa decisão”
Fonte :JC.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...