.

domingo, 20 de janeiro de 2019

Aliados anotam gestos de Paulo, mas esperam votos

Vice governadora Luciana Santos no Folha PolíticaFoto: Pedro Farias

A presença da vice-governadora Luciana Santos, sentada ao lado do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, em almoço no Recife, na última quinta-feira, teve simbologia aos olhos de alguns parlamentares. Além de ser presidente nacional do PCdoB, partido que já sinalizou apoio ao democrata, ela é ainda muito ligada ao governador Paulo Câmara e, de alguma forma, estaria deixando a digital dele na mobilização pró-democrata. Os gestos do governador no sentido de colaborar com a campanha de Maia têm se acumulado. Vão na direção de outras articulações no âmbito nacional nas quais ele tem atuado, a exemplo da movimentação para manter o PSB neutro na disputa presidencial e atrair o PT para sua aliança, a despeito das resistências no partido. Paulo concluiu a missão com êxito com a participação de Luciana. Caminham afinados, naturalmente. No Campo das Princesas, na quinta-feira, Paulo Câmara abriu o encontro com Maia dizendo que respeita posição da bancada, mas fez agradecimentos ao presidente da Câmara pelas ajudas dadas a Pernambuco, via aprovação de projetos referentes a incentivos fiscais. O que os deputados aliados de Maia esperam, no entanto, é voto. Dos 32 deputados do PSB, cinco são de Pernambuco e quatro foram contra marchar com Maia na reunião da bancada, em Brasília, que tratou do tema. O único ausente foi Felipe Carreras, que estava viajando, mas, à coluna, já informou que não vota no atual presidente. “Um governador vale pelos votos que ele pode dar“, observa um deputado, à coluna, em reserva. Em outras palavras, a visita de Maia a Pernambuco deixou, nos aliados do democrata, o sentimento de que o governador fez sinalizações sim, mas eles anotam que a decisão do PSB contra Maia se deu quase por unanimidade - só um deputado, dos 22 presentes, ficou a favor do democrata. Parlamentares envolvidos nas negociações cobram que a influência do governador precisa ser revertida em votos. O PSB se reúne na segunda-feira para bater o martelo na posição que adotará. A conferir.

Empetur em pauta

Indagado sobre a Empetur, o deputado Romário Dias relata que ele, Rodrigo Novaes e Joaquim Lira conversaram bastante. “E acho que a gente deve indicar o presidente”, assinala.

Sugestão > Romário prossegue, fazendo uma aposta: “Eu verbalizo um nome que seria extraordinário, que é o de José Neves - é da área, conhece bem o sistema e acho que tem todas as credenciais para ocupar esse cargo”.

Chancela > Sobre a Empetur, o presidente estadual do PSD, André de Paula, à coluna, afirma: “Qualquer indicação do secretário de Turismo, Rodrigo Novaes, o partido chancela”. Na avaliação de André, é importante que haja “perfeita sintonia entre o secretário e presidente da Empetur”.

Nem se anime > Ex-secretário de Turismo, Márcio Steffani foi nomeado para o cargo de Gerente Geral de Projetos Estratégicos da Secretaria de Administração, comandada por José Neto. Mas é só por um mês. Vai mesmo retornar ao BNDES.

FEM > Saiu, ontem, a nomeação do ex-prefeito de Moreno, Adilson Gomes Filho, para o cargo de secretário Executivo de Apoio aos Municípios na Secretaria de Planejamento, mesmo cargo que ele já ocupava. Segue cuidando do FEM, dos convênios com municípios e das emendas parlamentares ao FEM.

Fonte :Folha de PE.