.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Blog do Brito entrevista o coordenador do Movimento Renova e pré-candidato a prefeito de São Lourenço da Mata, Milton Micuíba


Estivemos na tarde de terça-feira (31), com o coordenador do Movimento Renova e pré-candidato a prefeito de São Lourenço da Mata, Milton Micuíba falando sobre a formação dos partidos que irão dar sustentação a sua candidatura e acomodar os pré-candidatos a vereadores, rumo às eleições deste ano.

Micuíba, filiado ao partido Solidariedade, que tem como presidente estadual o deputado federal Augusto Coutinho, que esteve em nossa cidade quando da filiação do pré-candidato, tem ainda na composição de sua frente ampla o Partido Democrático Trabalhista – PDT, o Partido Social Liberal – PSL, o PV.Partido Verde ,Micuíba já foi vereador de 1997 a 2000, bancário de carreira, ingressou no Banco do Brasil com 14 (catorze) anos, tendo ao 18 (dezoito) prestado concurso, obtido êxito e depois de uma carreira exitosa – tendo chegado a exercer o cargo de Gerente Regional no extremo Sul da Bahia –, e após 8 (oito) anos distante da sua terra natal, se aposentou e voltou com ânimos renovados, disposto a trabalhar por sua cidade.

Há 2 (dois) anos vem cruzando a cidade e discutindo seus problemas como coordenador do Movimento Renova São Lourenço. Em sua caminhada tem conhecido cada canto do município e se feito conhecer.

Mas nossa conversa nesta tarde foi sobre a eleição proporcional, a dos cidadãos que almejam a câmara de vereadores. Micuíba informa que já tem mais 90 (noventa) pré-candidatos interessados na disputar e espera fazer 5 (cinco) frentes, podendo, segundo suas palavras, obter até 6 (seis) vagas.

Afirma que isso é possível em razão das novas regras eleitorais que vetaram as coligações e alteraram a distribuição das vagas remanescentes, as sobras. Explica. “Nas próximas eleições não mais serão permitidas as coligações para a eleição proporcional, ou seja, para vereadores. Cada partido concorrerá de forma independente e só poderá contar com os votos atribuídos aos seus candidatos ou aos de legenda”.  E continua. “Precisamos realizar três cálculos para sabermos quantos vereadores cada partido irá eleger. O primeiro é o quociente eleitoral, que vem a ser a soma total dos votos válidos divididos pelo quantitativo de vagas da câmara de vereadores. No caso da nossa cidade temos 15 vagas. Em seguida o quociente partidário que irá definir o quantitativo de vagas que cada partido obterá. E por fim o cálculo da média, que é o método pelo qual ocorre a distribuição das vagas que não foram preenchidas pela aferição do quociente partidário dos partidos, o que popularmente é conhecido como distribuição das sobras das vagas”.

E prossegue “Em São Lourenço o partido para obter uma vaga deverá atingir, estimamos, em torno de 4 mil votos. Aí ele fará um vereador, caso tenha 8 mil votos fará dois vereadores. Como sempre sobram vagas, estas, conhecidas como sobras, são preenchidas pelos votos restantes, através de uma fórmula prevista em lei. E aí vem a novidade desse pleito. Antes, só participavam da divisão das vagas restantes, as sobras, os partidos que tivessem atingido o quociente, com a nova legislação todos os partidos participam, independente da votação que tiveram. Assim, as vagas restante serão disputadas por todos os partidos, logo, um partido que tenha obtido 3 mil, 3,5 mil votos, no caso de São Lourenço, pode ter direito a uma vaga. Os partidos ditos pequenos mas que representam um segmento da sociedade se farão representar.”

Micuíba, sempre muito didático, nos disse que o Movimento Renova espera fazer de 4 a 5 vereadores. Já que a atual eleição será atípica e quem estava com a cabeça nas regras antigas tem se surpreendido com as mudanças. e forma que ter vereadores nos quadros partidários já não é certeza de obtenção de cadeiras, de vagas. É, pelo que ele nos apresenta faz todo sentido.

E prossegue. “O momento é delicado para quem tem mandato. Em razão das novas regras, proibindo as coligações para a eleição proporcional, e permitindo que os partidos que não atingiram o coeficiente eleitoral entre na partilha, na divisão das vagas restantes. Então ninguém quer compor um partido apenas para servir de apoio, aos vereadores de mandato ou a aqueles que são os preferidos do candidato a prefeito”.

“E o que vemos é que tanto o candidato amarelo quanto o vermelho estão tendo dificuldade em formar os partidos que irão disputar a eleição proporcional, para vereadores. É natural que o vermelho, por estar no poder, trem maior poder de fogo, com possibilidade de formar várias frentes”. “Antes, em nossa cidade, nunca aconteceu de uma candidatura que não fosse amarela ou vermelha obtivesse um quantitativo expressivo de pré-candidatos a vereadores. Hoje nós temos, hoje São Lourenço se expressa e tem voz através do Movimento Renova”.

E continua. “Até o dia 04 de abril, prazo fatal para que quem queira se candidatar esteja filiado a algum partido, haverá muita movimentação, muitas mudanças ocorrerão. E isso não é um fenômeno local, de São Lourenço, está ocorrendo em diversas cidades. Pois um pré-candidato que já tenha disp


Fonte: Blog do Brito