.

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Número de registros de armas de fogo aumenta no Brasil


Número de registros de armas de fogo aumenta no Brasil
No Grande Recife, mesmo depois de 4 meses de isolamento social, a violência não foi reduzida. - Foto: Reprodução/TV Jornal
O número de registro de novas armas de fogo liberados pela polícia federal cresceu em todo o Brasil. O aumento do total de novas autorizações emitidas pela PF, foi em torno de 205% no primeiro semestre desse ano, quando comparado com o mesmo período do ano passado. Foram 24.236 em 2019 e 73.996 agora. De acordo com pesquisadores, o aumento se dá diante das portarias assinadas pelo presidente Jair Bolsonaro, que têm como uma das promessas de campanha facilitar o acesso a armas de fogo
Houve aumento também no número de Crimes Violentos Letais Intencionais, os CVLIs. Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os homicídios no Brasil tiveram um acréscimo de 7% nos cinco primeiros meses do ano. Principalmente nos estados do Nordeste.
No Grande Recife, mesmo depois de 4 meses de isolamento social, a violência não foi reduzida. De 21 de março à 20 de Julho, o laboratório de dados sobre violência armada, Fogo Cruzado resgistrou 627 tiroteios ou disparos de armas de fogo. Foram 44% ocorridos a mais, em relação ao mesmo período do ano passado. No total, foram 407 mortos e 281 feridos, números que subiram em 33% e 77% respectivamente em relação a mesma época de 2019.

Devido a esse aumento também dos Crimes Violentos Letais Intencionais, Jatobá se mostra preocupada com o futuro do país. “Somado a um aumento na violência letal, que a gente vêm assistindo e vêm crescendo mesmo no contexto da pandemia. Tudo isso aponta para um cenário bastante grave e preocupante nos próximos meses. O contexto da violência letal já é uma saga do país, e agora com esse descontrole no número de novos registros, na dificuldade de rastreamento de armas e munições, a gente teme pelo pior.” disse.
Segundo a porta voz da plataforma Fogo Cruzado em Pernambuco, Édna Jatobá, a flexibilização do porte de armas é uma atitude grave e preocupante. “São portarias que visam enfraquecer o rastreamento de armas e munições. O Brasil têm uma política de controle de armas, que é o estatuto do desarmamento. E ainda assim, mesmo com o estatuto já é bem difícil fazer o rastreamento, e agora com essa flexibilização fica mais difícil ainda.”

Pedidos de aquisição de armas de fogo

De acordo com a polícia Federal a delegacia de controle de armas e produtos químicos a DLEAC, tem analizado uma média de 40 pedidos de aquisição de arma de fogo por dia.
O delegado titular da DLEAC, Alvaro Lago, afirma que o aumento pode ter sido causado pelas mudanças no sistema de registros de armas, que agora permite ao cidadão fazer o requerimento pela internet. Ele acredita também que o crescimento pode ser atribuído a mudanças na legislação, viabilizando a aquisição de até quatro armas por pessoa, incluindo a possibilidade de adquirir unidades de calibres até então não permitidas. Como por exemplo, pistolas 9 mm.
Fonte: Rádio Jornal.