.

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Vai à sanção ajuda a agricultores familiares em decorrência da pandemia

 


14052018 agricultura Joao Melo Empaer MT

Medidas de apoio aos agricultores familiares durante o estado de calamidade pública relacionado ao coronavírus. É o que prevê o Projeto de Lei 735/2020, aprovado pelo Plenário do Senado nesta quarta-feira, 5 de agosto, que segue para sanção presidencial.

Pelo projeto, terão acesso às medidas os agricultores familiares e empreendedores familiares rurais. Quem não tiver recebido o auxílio emergencial anterior terá direito a R$ 3 mil em cinco parcelas de R$ 600. O valor do auxílio destinado à mulher provedora de família monoparental será de R$ 6 mil. O objetivo é dar condições de subsistência e fomentar atividades produtivas rurais neste período de pandemia.

A área técnica de Desenvolvimento Rural da Confederação nacional de Municípios (CNM) considera importante as medidas de fomento aos produtores rurais prejudicados pela queda na comercialização de alimentos em virtude da pandemia de Covid-19.

Dentre as medidas previstas no projeto estão: a possibilidade de ampliação no número de agricultores familiares que vendem produção para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PPA); a criação do Fomento Emergencial de Inclusão Produtiva Rural que ira repassar de R$ 2.500,00 a R$ 3.500,00 para implantação de projetos de estruturação da unidade produtiva familiar; a criação de nova linha de financiamento; e autorização de renegociação das dívidas dos produtores.

Critérios 

De acordo com o texto aprovado, as parcelas deverão ser pagas seguindo o cronograma de pagamento do auxílio emergencial de que trata a Lei 13.982/2020. Os critérios para recebimento também são semelhantes. No cálculo da renda familiar, não serão contados os rendimentos obtidos por meio dos programas de apoio à conservação ambiental e de fomento às atividades rurais (Bolsa Verde), previstos na Lei 12.512,/2011.

Os pagamentos deverão ser feitos por bancos federais com o uso de contas de poupança social digital. Ficam proibidos a cobrança de taxas e o uso dos recursos para quitar eventuais dívidas do beneficiado com o banco. Caso os beneficiários não tenham acesso à tecnologia digital e internet, o saque do seu auxílio poderá ser feito nas agências bancárias com apresentação do CPF e da carteira de identidade.

Requisitos para receber o auxílio

- Ter cadastro no CadÚnico ou em entidade de assistência técnica e extensão rural credenciada à Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater)

- Ser maior de 18 anos 

- Não ter emprego formal ativo 

- Não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal, ressalvados o Bolsa Família e o seguro-defeso 

- Ter renda familiar mensal per capita de até meio salário-mínimo ou renda familiar mensal total de até 3 salários mínimos

- Não ter recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70

 

Fonte: Agência CNM de Notícias, com informações das Agências Câmara e Senado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo Seu Comentário. Logo Estaremos o Postando.