.

sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Ataques deixaram Marília Arraes na defensiva


Assim como no primeiro turno, o guia eleitoral teve papel fundamental neste segundo turno. Se na primeira etapa os ataques de Mendonça Filho na Delegada Patrícia fizeram o democrata garantir o terceiro lugar e por muito pouco não chegou ao segundo turno, na segunda etapa,  a campanha João Campos conseguiu deixar Marília Arraes na defensiva e evitou que ela pudesse sacramentar a vitória antes do tempo.

Com um contingente de classe média significativo que deu à direita uma expressiva votação, estava latente que o PT e os demais elementos de esquerda poderiam ser um fator de fragilidade para o crescimento de Marília Arraes na reta final. Marília precisava caminhar para o centro no intuito de convencer os indecisos, mas enfatizou a cor vermelha do PT, explorou Lula no guia eleitoral e remeteu ao eleitor de classe média uma preocupação com uma eventual volta do Partido dos Trabalhadores ao comando da capital pernambucana.

Há uma grande preocupação na classe média com o PT, com Lula, Dilma Rousseff e João da Costa, todos de memória não muito agradável para esta parcela do eleitorado, que apesar de não ter muita simpatia pelo PSB, vislumbra no partido uma espécie de mal menor. Faltando apenas dois dias para a eleição, este temor da classe média poderá ser determinante para frear um crescimento mais robusto de Marília Arraes rumo ao comando da PCR, e por tabela ajudar João Campos no sentimento de eleger o que ela acredita ser o menos ruim para a cidade.

Religião – O Ministério Público Eleitoral defendeu multa para quatro pessoas por “propaganda irregular em templo religioso de Abreu de Lima”, nas eleições de 2018. O caso está sendo discutido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília. “Embora não tenham realizado pedido explícito de voto, levaram ao conhecimento dos fiéis a intenção da filha do pastor concorrer a deputada estadual de Pernambuco, pedindo engajamento e orações tanto ao projeto quanto à candidatura”, disse o Ministério Público Eleitoral. O relator, Edson Fachin, votou pela multa de R$ 5 mil para a candidata, seu pai e os pastores. Alexandre de Moraes divergiu, por entender que não houve propaganda ostensiva. O julgamento foi suspendo por pedido de vista do ministro Luís Felipe Salomão.

Indenização – Por declarações em entrevista de 2017, o empresário Joesley Batista foi condenado a indenizar em R$ 300 mil o ex-presidente Michel Temer (MDB). Na época, Joesley classificou Temer como o chefe da “maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil”. Foi Joesley que fez a gravação que levou a Procuradoria Geral da República denunciar Temer durante seu governo. A condenação é do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ainda cabe recurso.

Jarbas Vasconcelos – A campanha de João Campos acertou ao colocar o senador Jarbas Vasconcelos (MDB) em seu guia eleitoral. Jarbas é uma referência política no estado tendo sido o melhor prefeito do Brasil quando governou a capital pernambucana, o que poderá ajudar o PSB na busca pelos indecisos nesta reta final.

Inocente quer saber – A disputa em Paulista neste segundo turno já está resolvida?

Fonte : Blog do Edmar Lyra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo Seu Comentário. Logo Estaremos o Postando.