.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Conheça as 35 cidades Pernambucanas que se destacaram na proteção às crianças e receberam Selo Unicef


 Conheça as 35 cidades Pernambucanas que se destacaram na proteção às crianças e receberam Selo Unicef

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) concedeu hoje (8) o Selo Unicef a 431 municípios do Semiárido e da Amazônia Legal brasileira, pelo esforço para proteger os direitos de crianças e adolescentes.

As cidades se destacaram por ações que promoveram nas áreas de saúde, educação e assistência social.

No total, 1.924 municípios de 18 estados participaram da iniciativa, que compreendeu o intervalo de 2017 a 2020. No período, 1.735 municípios implementaram a estratégia Busca Ativa Escolar, programa lançado pelo Unicef em 2017, que tem por objetivo mitigar os fatores que contribuem para a exclusão escolar, isto é, que impedem crianças e adolescentes em idade escolar de frequentar as aulas.

Além disso, 573 municípios realizaram ações para diminuir o número de crianças e adolescentes com dois ou mais anos de atraso escolar. Ao todo, 683 prefeituras capacitaram professores sobre inclusão de crianças com deficiência por meio de educação física.

De acordo com o Unicef, entre 2016 e 2019, o percentual de estudantes dos anos finais do ensino fundamental público com dois ou mais anos de atraso escolar caiu 10,7% em todo o país.

Nos municípios da Amazônia e do Semiárido, a redução foi de 11,9%, índice superado pelos municípios que aderiram à iniciativa da entidade, que foi de 12,5%. Entre os municípios que ganharam o selo a queda foi ainda mais expressiva, de 15%.

A representante do Unicef no Brasil, Florence Bauer, disse que muitos desses municípios enfrentam problemas estruturais graves e precisam de intensos investimentos do poder público para resolvê-los. Segundo ela, a certificação permite melhorar os indicadores sociais não somente nos municípios que a conquistam, mas também em outros.

Florence disse também que a pandemia da covid-19 vem causando um “impacto profundo” na realidade de crianças e adolescentes. Ela avalia que o fechamento de escolas traz à tona situações de vulnerabilidade que afetam essa parte da população, como fragilidades de saúde mental e falhas na proteção contra violência, já que muitos dos agressores são parentes das vítimas.

“A gente está numa situação que nos preocupa muito, com o risco de perder, de alguma  maneira, essa geração de crianças e adolescentes”, disse.

Ao participar do Selo UNICEF, os municípios se empenharam em garantir os direitos de crianças e adolescentes através de uma série de ações realizadas no âmbito da administração local.

Como resultado, eles conseguiram, por exemplo, reduzir o atraso escolar, ampliar o acesso de gestantes ao pré-natal, garantir a certidão de nascimento a meninos e meninas no primeiro ano de vida sem registro civil e promover a participação de adolescentes nos processos de decisão política.  

PERNAMBUCO:

Afogados da Ingazeira, Agrestina, Arcoverde, Betânia, Bonito, Brejinho, Brejão, Buíque, Casinhas, Custódia, Flores, Glória do Goitá, Inajá, Itapetim, Itaíba, João Alfredo, Panelas, Pedra, Petrolina, Poção, Riacho das Almas, Saloá, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Maria da Boa Vista, Santa Terezinha, Serra Talhada, São Bento do Una, São Caetano, Tacaimbó, Tacaratu, Taquaritinga do Norte, Toritama, Triunfo e Venturosa.

Fonte: Portal de Prefeitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo Seu Comentário. Logo Estaremos o Postando.