.

quarta-feira, 7 de abril de 2021

PT e PSDB conversam sobre aliança para enfrentar Bolsonaro

 


Estão preparados para uma bomba? Pois bem, os bastidores da política estão em polvorosa com a possibilidade de PT e PSDB dividirem o mesmo palanque nacional contra o presidente Jair Bolsonaro, em 2022. Depois de anos de enfrentamento, os dois partidos que protagonizaram a política brasileira pós-redemocratização podem apoiar um mesmo candidato no pleito do ano que vem. As conversas existem e estão sendo conduzidas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que sonha em ser o escolhido de uma frente ampla envolvendo legendas de todos os espectros contra Bolsonaro.


Do lado tucano, participam das conversas nomes nacionais como o governador de São Paulo, João Dória, que parece ter recuado de concorrer a presidente para tentar a reeleição ao Palácio dos Bandeirantes. Além dele, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, outro que se coloca como presidenciável do PSDB. Ironia mesmo seria ver Lula e Dória no mesmo palanque, dois arqui-inimigos que, não fosse o desastre do Governo Bolsonaro, seria impossível estarem no mesmo projeto de poder.


O problema nessa equação parece ser o principal cardeal do tucano que atende pelo nome de Fernando Henrique Cardoso. Em entrevista à CBN, FHC negou voto em Lula dizendo que prefere alguém que representasse uma novidade para o país. Há que se questionar também o posicionamento de outras figuras proeminentes do partido, como o ex-governador Geraldo Alckmin e o senador José Serra. Que posicionamento essas lideranças vão defender?


Até porque essa potencial aliança PT-PSDB, que englobaria mais legendas, teria que ser com Lula na cabeça de chapa. De volta ao jogo, o petista acredita ser ele a única pessoa capaz de destronar Bolsonaro. O PT, vale salientar, não é lá de abrir espaço para protagonismo de outras siglas, fator que já dificulta e muito a consolidação de uma aliança do tipo.


PESQUISA – Para reforçar ainda mais a falta de vontade do PT em abrir mão da cabeça de chapa em uma coligação nacional, veio mais uma pesquisa de intenção de voto onde Lula continua na frente de Bolsonaro. O levantamento XP/Ipespe entrevistou 1.000 pessoas entre 29 e 31 de março e a margem de erro é de 3,2 pontos percentuais. As informações são do InfoMoney. No cenário estimulado, Lula aparece com 29% das intenções de voto, aumento de 4% em relação ao levantamento anterior, contra 28% de interessados em votar em Bolsonaro, 1% a menos do que a pesquisa feita no início de março, o que configura empate técnico.


CASSAÇÃO – O Ministério Público Eleitoral de Pernambuco solicitou a cassação de João Bosco Lacerda, prefeito do município de Granito, no Sertão do Araripe. O motivo se deve pela contratação exagerada de pessoas físicas entre os meses de agosto e outubro de 2020, realizada por ele e pelo vice Thaylan Bezerra. Responsável pela eleição de Granito, a Zona Eleitoral de Bodocó dará a sentença após receber o parecer favorável apresentado pelo Ministério Público Eleitoral do Estado. Se condenados, João Bosco e Thaylan podem, além da cassação, sofrerem multa individual de até R$ 106.410,00 (cento e seis mil quatrocentos e dez reais).


VACINAS PERDIDAS – Uma vergonha a gestão do prefeito Alexandre Batité, em São Bento do Una. Cerca de 2.800 doses de vacina contra a Covid-19 destinadas ao município passarão por análise pela 4ª Gerência Regional de Saúde, em Caruaru. De acordo com a Prefeitura Municipal, houve uma oscilação de temperatura na Câmara de conservação onde as vacinas estavam armazenadas. Com a extorsão da temperatura no local, houve uma possível perda de 2.805 doses do imunizante contra a Covid-19, além de 410 vacinas para outras doenças. Em nota, a Secretaria de Saúde de Pernambuco comunica que já informou o caso ao Ministério da Saúde.


SOLIDARIEDADE – Replicando a experiência positiva de outros municípios pernambucanos, a partir desta quarta-feira (7), a Prefeitura do Ipojuca, por meio da Secretaria de Saúde, irá adorar o esquema de vacinação solidária. A ideia foi lançada pela Prefeitura de Camaragibe, que organizou a campanha Corrente do Bem, exemplo nacional de solidariedade e voluntariado nesta pandemia. Em Ipojuca, o objetivo é estimular as pessoas que forem receber a imunização nos pontos de vacinação a levarem um quilo (1kg) de alimento não perecível, que será doado para as paróquias das localidades ipojucanas.


O povo quer saber: água (PSDB) e óleo (PT) se misturam mesmo?


Por Fernanda Maria, Cientista Política.


Fonte : FalaPE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo Seu Comentário. Logo Estaremos o Postando.